Arquivos Mensais: outubro \31\UTC 2008

SALVE DRUMMOND

Selo amigo

AS CONTRADIÇÕES DO CORPO

Meu corpo não é meu corpo,
é ilusão de outro ser.
Sabe a arte de esconder-me
e é de tal modo sagaz
que a mim de mim ele oculta

Meu corpo, não meu agente,
meu envelope selado,
meu revólver de assustar,
tornou-se meu carcereiro,
me sabe mais que me sei.

Meu corpo apaga a lembrança
que eu tinha de minha mente,
Inocula-me seus patos,
me ataca, fere e condena
por crimes não cometidos.

O seu ardil mais diabólico
está em fazer-se doente.
Joga-me o peso dos males
que ele tece a cada instante
e me passa em revulsão.

Meu corpo inventou a dor
a fim de torná-la interna,
integrante do meu Id,
ofuscadora da luz
que aí tentava espalhar-se.

Outras vezes se diverte
sem que eu saiba ou que deseje,
e nesse prazer maligno,
que suas células impregna,
do meu mutismo escarnece.

Meu corpo ordena que eu saia
em busca do que não quero,
e me nega, ao se afirmar
como senhor do meu Eu
convertido em cão servil.

Meu prazer mais refinado
não sou eu quem vai senti-lo.
É ele, por mim, rapace,
e dá mastigados restos
à minha fome absoluta.

Se tento dele afastar-me,
por abstração ignorá-lo,
volto a mim, com todo o peso
de sua carne poluída,
seu tédio, seu desconforto.

Quero romper com meu corpo,
quero enfrentá-lo, acusá-lo,
por abolir minha essência,
mas ele sequer me escuta

saio a bailar com meu corpo.

(Carlos Drummond de Andrade)

31 de outubro –  106 do grande mestre da poesia

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

CAUROSA

Anúncios

A VIDA

MANHÃ

“De manhãzinha,

Quando o sol clarinho aparece atrás das montanhas

a vida toma o rumo do trabalho.

Os vaqueiros, os operários, as crianças e os animais

saem para as ruas e fazendas.

A esperança de colher o alimento é uma missão sagrada.

Na feira, o bate boca e a festa do feijão, arroz, verduras,

frutas e artesanatos mostram fartura

Como se a cidade nunca tivesse ouvido a palavra fome.

Os homens, acreditando na vida,

Fazem o milagre da multiplicação dos pães,

esquecendo o sofrimento e gritando com alegria:

Nasceu um novo dia!”

TARDE

“À tardinha, o sol vermelho

traz o calor de um sonho vivido na manhã.

As pessoas encontram no tédio da tarde

as batidas dos sinos, os latidos dos cachorros,

as conversas nos banquinhos das praças

e o olhar brilhante das moças que passam.

É o interior chamando para o amor.”

NOITE

“O escurecer chega

exalando os perfumes dos jardins,

predominando o cheiro da dama da noite.

Os encontros são mais silenciosos

a pedras saltam o calor obsorvido da tarde e

o sobe-e-desce ladeira

imita a procissão da paixão de Cristo.

É ali que a magia acontece.

Cada pessoa abre seu coração

e solta raios de luz, pela inspiração.”

Paulinho Pedra Azul

CAUROSA

o corpo

O CORPO

FLUTUA , VENCE A GRAVIDADE.

O CORPO

CORRE, DESAFIA O TEMPO.

O CORPO

SALTA , BUSCA A DISTÂNCIA INFINITA

O CORPO

CANTA  O SOM LÍRICO.

O CORPO

BAILA  O MOVIMENTO MÁGICO

CAUROSA

É CAMPEÃO

Com duas defesas espetaculares do goleiro Franklin na disputa de pênaltis, o Brasil conquistou seu sexto título mundial de Futsal, neste domingo, em uma decisão eletrizante disputada no Maracanãzinho lotado. A final do mundial terminou empatada em 2 x 2 no tempo normal e, após a prorrogação sem gols, a seleção brasileira venceu por 4 x 3 nos pênaltis. Este título inédito consagrou uma geração de jogadores geniais.

CAUROSA

O FUTSAL

História

Duas são as versões para a origem do Futebol de Salão, ambas envolvendo a Associação Cristã de Moços. Em uma delas, o esporte começou a ser praticado por volta de 1940, por jovens freqüentadores da Associação Cristã de Moços (ACM) de São Paulo (cidade) que, para compensar a falta de campos de futebol, improvisavam “peladas” nas quadras de basquete e hóquei, aproveitando as traves usadas na prática desse último esporte. Na segunda versão, o Futebol de salão teria sido inventado em 1934, pelo professor Juan Carlos Ceriani Gravier, da ACM de Montevidéu, Uruguai, dando a ele o nome de “Indoor-Foot-Ball.”

A despeito das divergências históricas, Futebol de salão e o Futsal são essencialmente o mesmo esporte, especialmente quando se leva em conta que as diferenças, nem sempre tão evidentes a primeira vista, acabam sendo ainda mais embaralhadas pelo emaranhado processo histórico que envolveu o cisma no esporte e pela prática comum nos círculos do esporte. O próprio termo Futsal foi originalmente cunhado pela FIFUSA em reação à proibição da FIFA de se usar o nome Futebol por entidades que não ela própria. No entanto, acabou sendo adotado pela própria FIFA, tornando-se assim associado à forma que o esporte adquiriu sob a autoridade desta entidade.O Futsal, em sua forma mais difundida hoje é administrado no Brasil pela Confederação Brasileira de Futebol de Salão, e mundialmente pela FIFA. O Futebol de Salão-FIFUSA, por sua vez, tem como federação nacional a Confederação Nacional de Futebol de Salão e é organizado mundialmente pela Associação Mundial de Futsal, AMF, cuja sede fica no Paraguai.

Fundamentos

  • Passe: É a ação de enviar a bola a um companheiro ou determinado setor de espaço de jogo.
  • Drible: É a ação individual, exercida com a posse da bola, visando ludibriar um oponente quando ultrapassado.
  • Cabeceio: É a ação de cabecear a bola quando é de defesa muito alta.
  • Chute: É a ação de golpear a bola, estando ela parada ou em movimento, visando dar a ela uma trajetória em direção a um objetivo, seja este o gol, outro jogador ou tirá-la de jogo.
  • Recepção: É a ação de interromper a trajetória da bola vinda de passes.
  • Condução: É a ação de progredir com a bola por todos os espaços possíveis de jogo.
  • Domínio de Bola: Diferentemente do futebol, é realizada, na maioria das vezes, com a sola do pé.

Posições dos Jogadores no Futsal

Muito parecido com o futebol, o futsal apresenta quatro posições principais, que são:

  • Fixo – Defensor, semelhante ao defesa
  • Ala (esquerdo e direito) – Conduzem o jogo na lateral da quadra
  • Pivô – movimenta-se no ataque
  • Goleiro – defende o gol de todos os ataques do adversário e também ataca.


CAUROSA

O ETERNO VAGABUNDO (CARLITOS)

Charlie Chaplin , o eterno Carlitos  fez gerações sorrir, proporcionou momentos de alegria e humor. O gênio imortal do cinema.


SORRI (SMILE)

"Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios

Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador

Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos

Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz"

CAUROSA

AOS MESTRES

Aos meus mestres,

com carinho agradeço

terem me ensinado a ensinar.

Aos meus mestres agradeço:

Pelo sacrifício diário,

pela dedicação exclusiva,

pela paciência  infinita,

pela presença marcante,

pela  pesquisa constante,

pela busca do saber.

Aos mestres, com carinho

agradeço.

CARLOS AUGUSTO ROSA

CAUROSA

As rosas não falam.

Cartola,

nasceu Angenor,

com o dom de compor,

com o dom de cantar,

belos sambas de amor.

O mestre do morro,

o mestre  do samba e

do amor,

O mestre da verde e rosa,

o mestre das rosas.

Carlos Rosa.

100 anos

As Rosas não Falam

Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão, enfim

Volto ao jardim
Com a certeza que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar para mim

Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti, ai

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhavas meus sonhos
Por fim.

CAUROSA

SONHO DO MENINO DO BRASIL

No ano de mil novecentos e sessenta e dois, o menino sonhou que voava pelo campos do Chile, tabelando ao lado do “anjo” Mané  e fazia um gol para o Brasil. Com oito anos o menino não entendia ainda  as coisas do futebol, mas sonhava com a camisa amarela, e com o “anjo” Mané.

O tempo passou, o menino cresceu,  os sonhos são raros, mas a paixão permanece. Paixão pelo fantástico futebol brasileiro, paixão pela camisa amarela  da seleção brasileira, paixão pelo “anjo”  Mané  que  transformou-se em ídolo eterno, paixão pelo Botafogo, o time imbatível do “anjo Mané nos anos sessenta.

O “Rei” Mané  tombou derrotado pela vida, o Botafogo passou por maus momentos, a seleção foi derrotada, perdeu títulos. Apesar de tudo, a paixão pelo futebol é eterna, está  cravada na alma do menino do Brasil.  Ela não pode morrer, o que será dos outros meninos, se não lhes for permitido sonhar e apaixona-se  pela amarelinha, tão amada pelo mestre Zagalo.

O futebol brasileiro vive uma outro momento, a realidade dos nossos clube não é das melhores, a seleção brasileira se transformou numa empresa manipulada por maqueteiros comandados pelo  Ricardo Teixeira, os nossos craques estão sendo exportados para outro países ainda meninos, seduzidos pelo poder do euro e da fama, induzidos por alguns empresários que só pensam em ganhar dinheiro.

Porém tudo isso não deve ser motivo para apagar a chama da paixão, que enfeitiça a alma dos brasileiros pelo futebol. Devemos preservar a memória dos nosso ídolos , reavivar o grandes momentos do futebol brasileiro, e acreditar que os meninos do Brasil continuarão sonhando e que voarão leves e soltos, tabelando com o “Rei Mané pelos gramados do mundo.

___________________________________________________________________

………………………………………………………………………………………………………

CAUROSA

OS CORPOS SE ENTENDEM?

ARTE DE AMAR


“Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.
Só em Deus ela pode encontrar satisfação.
Não noutra alma.
Só em Deus – ou fora do mundo.

As almas são incomunicáveis.
Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.
Porque os corpos se entendem, mas as almas não.”

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………

caurosa