Arquivos Mensais: abril \30\UTC 2009

O pagador de promessas

Blogagem coletiva – O filme da minha vidacinema1

O PAGADOR DE PROMESSAS – Um filme sensacional que marcou muito minha vida e me tornou um apaixonado pelo cinema.

O pagador de promessas é um filme brasileiro de 1962, do gênero drama, escrito e dirigido por Anselmo Duarte e baseado em história de Dias Gomes.

imagespg

O pagador de promessas
(PT/BR)
Brasil Brasil
1962 ı p&b ı 118 min
Direção Anselmo Duarte
Elenco Leonardo Villar
Glória Menezes
Dionísio Azevedo
Norma Bengell
Geraldo Del Rey
Roteiro Anselmo Duarte

Gênero drama
Idioma português

Sinopse

Zé do Burro é um homem humilde que enfrenta a intransigência da Igreja ao tentar cumprir a promessa feita em um terreiro de candomblé de carregar uma pesada cruz por um longo percurso.

Zé do Burro é o dono de um pequeno pedaço de terra no Nordeste do Brasil. Seu melhor amigo é um burro. Quando este adoece, Zé faz uma promessa à uma mãe-de-santo do Candomblé: se seu burro se recuperar, irá doar sua terra aos pobres e carregará uma cruz desde sua terra até a Igreja de Santa Bárbara em Salvador, onde a oferecerá ao padre local. Assim que seu burro se recupera, Zé dá início à sua jornada.

O filme se inicia com Zé, seguido fielmente pela esposa Rosa, chegando à catedral de madrugada. O padre local recusa a cruz de Zé após ouvir dele a razão pela qual a carregou e as circunstâncias “pagãs” em que a promessa foi feita. Todos em Salvador tentam se aproveitar do inocente e ingênuo Zé. Os praticantes de Candomblé querem usá-lo como líder contra a discriminação[1] que sofrem da Igreja Católica, os jornais sensacionalistas transformam sua promessa de dar a terra aos pobres em grito pela reforma agrária. A polícia é chamada para previnir a entrada de Zé na Igreja, e ele acaba assassinado em um confronto violento entre policiais e manifestantes a seu favor. Na última cena do filme, os manifestantes colocam o corpo morto de Zé em cima da cruz e entram à força na Catedral. (Fonte: Wikipedia)

CAUROSAprojecteur-02

Anúncios

COMO NOSSOS PAIS

Com  Elis Regina. . .

Como Nossos Pais ( Belchior)


Não quero lhe falar,
Meu grande amor,
De coisas que aprendi
Nos discos…

Quero lhe contar como eu vivi
E tudo o que aconteceu comigo
Viver é melhor que sonhar
Eu sei que o amor
É uma coisa boa
Mas também sei
Que qualquer canto
É menor do que a vida
De qualquer pessoa…

Por isso cuidado meu bem
Há perigo na esquina
Eles venceram e o sinal
Está fechado prá nós
Que somos jovens…

Para abraçar seu irmão
E beijar sua menina na rua
É que se fez o seu braço,
O seu lábio e a sua voz…

Você me pergunta
Pela minha paixão
Digo que estou encantada
Como uma nova invenção
Eu vou ficar nesta cidade
Não vou voltar pro sertão
Pois vejo vir vindo no vento
Cheiro de nova estação
Eu sinto tudo na ferida viva
Do meu coração…

Já faz tempo
Eu vi você na rua
Cabelo ao vento
Gente jovem reunida
Na parede da memória
Essa lembrança
É o quadro que dói mais…

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como os nossos pais…

Nossos ídolos
Ainda são os mesmos
E as aparências
Não enganam não
Você diz que depois deles
Não apareceu mais ninguém
Você pode até dizer
Que eu tô por fora
Ou então
Que eu tô inventando…

Mas é você
Que ama o passado
E que não vê
É você
Que ama o passado
E que não vê
Que o novo sempre vem…

Hoje eu sei
Que quem me deu a idéia
De uma nova consciência
E juventude
Tá em casa
Guardado por Deus
Contando vil metal…

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo, tudo
Tudo o que fizemos
Nós ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Como os nossos pais…

com Belchior…


CAUROSAdesenhos19pantera

MEU PEQUENO ANJO

imagesanj

Feliz Páscoaimagespas

Dorme, meu pequeno anjo.

Que todo o mal se afaste de ti.

Que o menino Deus te proteja.

Dorme,  meu pequeno anjo.

Que teu sono seja calmo e silencioso.

Que você viaje em sonhos maravilhosos.

Dorme, meu pequeno anjo.

Que amanhã teu corpo esteja  livre.

Que te permita  o  ofício de brincar.

Dorme, meu pequeno anjo.

Que um novo dia te espera.

Que ele seja de alegrias e sorrisos.

Para o meu pequeno anjo.

Carla Fernanda.

CAUROSAimagesaaa2