Tempo, vida, amor

Soneto dos 20 anos

Que o tempo passe, vendo-me ficar
no lugar em que estou, sentindo a vida
nascer em mim, sempre desconhecida
de mim, que a procurei sem a encontrar.

Passem rios, estrelas, que o passar
é ficar sempre, mesmo se é esquecida
a dor de ao vento vê-los na descida
para a morte sem fim que os quer tragar.

Que eu mesmo, sendo humano, também passe
mas que não morra nunca este momento
em que eu me fiz de amor e de ventura.

Fez-me a vida talvez para que amasse
e eu a fiz, entre o sonho e o pensamento,
trazendo a aurora para a noite escura.

Lêdo Ivo

caurosa

Anúncios

13 Respostas

  1. Belo poema… soou-me diferente agora, por hora, essa coisa do tempo a me observar… rs

    tens um gosto apurado e eu aprecio muito!

    beijos querido Cau

  2. Olá meu querido amigo,
    Agradeço-te duplamente pelas visitas
    e palavras direcionadas em meu recanto.

    Que não vejamos simplesmente a
    passarela da vida, mas que nela caminhemos,
    contribuindo com o tempo de vida participativa,
    abrançando os encantos, sobrevivendo aos
    desenganos, aprendendo a usar as tintas
    da aquarela da vida e na vida, propria vida,
    morrer abraçado com ela na alegria bendita.

    obrigada pelo carinho
    visite-me sempre, para que eu não te perca
    do caminho…
    Ps:Não tenho como encaixa-lo na lista de
    seguidores, por não ser da mesma cadeia
    de blog meu… Por isto, desejo te seguir de
    alguma forma, ao meu contento.

    Bjss
    Livinha

  3. Lindo blog!
    Que bom vc ter gostado lá de casa!
    Volte sempre e fique sempre à vontade.
    Bjs.

  4. Oiii!
    Tudo bem com você?
    Desculpe a ausência esses dias… estava tudo beem corrido!

    Poxa, esse é meu soneto, me identifiquei muito com ele! Além de eu ter acabado de completar 20 anos, rsrs

    Bom final de semana!
    Beeeijos!

  5. Olá Carlos,

    Agradeço a visita e seja sempre muito bem vindo quando quiser aparecer por lá.
    E parabéns pelo bom gosto, Ledô sempre me agrada muito =]

    Um abraço e até mais !

  6. Que lindo soneto você escolheu pra postar, eu como romântica que sou, fiquei apaixonada ao lê-lo.

    Beijos e um bom final de sábado.

  7. Cau, que bela escolha… Tudo que queríamos dizer, disse o poeta de forma fantástica…

    Beijocas e grata por nos trazer Lêdo Ivo, orgulho da literatura nacional.

    BEIJOCAS.

  8. Olá Caurosa,

    Venho retribuir e agradecer a visita no meu “cantinho”.
    Adorei o poema cujo autor desconhecia e como vejo no comentário acima, é um escritor vosso de referência. Infelizmente é assim. No entanto fui tentar saber mais sobre o poeta e encontrei um poema que adorei e aqui transcrevo:

    “Que me deixem passar – eis o que peço
    diante da porta ou diante do caminho.
    E que ninguém me siga na passagem.
    Não tenho companheiros de viagem
    nem quero que ninguém fique ao meu lado.
    Para passar,exijo estar sozinho,
    somente de mim mesmo acompanhado.
    Mas caso me proíbam de passar
    por seu eu diferente ou indesejado
    mesmo assim eu passarei.
    Inventarei a porta e o caminho
    e passarei sozinho”.

    Um beijo e obrigado pela partilha.

  9. ”Que eu mesmo, sendo humano, também passe
    mas que não morra nunca este momento
    em que eu me fiz de amor e de ventura.”

    será que há comentários???

    simplesmente lindo^^

    ahhh…to te seguindo no twitter cau^^

    bjbj

  10. Querido Caurosa, estou um pouco sumida da blogosfera … sempre que dá dou uma lida nos meus recado e claro, dou uma lidinha no blog dos companheiros. Poxa, estava para te responder faz um tempo … ainda em relação ao post sobre o seu amigo. Te digo que fiquei sem palavras e fiquei muito pensativa. Só consigo pensar, com aquela história e com tudo que anda acontecendo … é que a vida é muito injusta. Por mais que no futuro vejamos que determinadas coisas aconteceram pq tinham q acontecer … é difícil … é foda compreender … e eu não me conformo. Mas dizem que guardar raiva, rancor, etc … não é bom para gente, então exorcizar isso se torna um exercício diário. Força!! Já o post de agora … preciso dizer que é lindo? Bjão e bom restinho de semana p/ ti.

  11. Bela poesia! Um forte abraço do tamanho do Botafogo!

    Toda cidade vai cantar
    E finalmente vai voltar
    O tempo da paz os tempos atrás
    O tempo da consideração
    Quando era menos ambição
    E o coração valia muito mais
    Toda a cidade vai cantar
    O cancioneiro popular de tempos atrás
    Que já não se faz
    E chega a me dar uma emoção
    De contemplar a multidão
    Cantando pelas ruas principais
    Joga todo mal pra fora
    Abre o peito e chora em paz
    Que é bonito demais
    Toda cidade cantando
    Como nos antigos carnavais

    Paulo Cesar Pinheiro

  12. Olá Amor,
    Passei para dizer que estou revitalizando o meu espaço.
    Estava de férias.kkkkk

  13. Cara, poesia bonita, mas ninguém fica no exato lugar, pois sempre evoluimos para o amanhã…

    Fique com Deus, menino Carlos Rosa.
    Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: